Ácido alfa-lipoico (ALA) é um tipo de antioxidante encontrado em alimentos vegetais, que elimina radicais livres, combate a inflamação e retarda o processo de envelhecimento. 

O ácido lipoico é encontrado no corpo e também é sintetizado por plantas e animais. Ele está presente em todas as células do nosso corpo e auxilia a glicose a se transformar em combustível para o organismo.

O papel mais valiso do ALA é sua luta contra os efeitos dos radicais livres. Dentro de nossas células, ALA é convertido em ácido dehidrolipóico (DHLA), que tem efeitos protetores sobre reações celulares.

Como outros antioxidantes, ALA pode ajudar a retardar o dano celular que é uma das causas doenças como cancer, doenças cardíacas e diabetes. ALA funciona como agente sinergético com vitaminas do complexo B, que são necessários para transformar todos os macronutrientes dos alimentos em energia. ALA é ligada às moléculas de proteína, e atua como cofator para várias enzimas mitocondriais importantes.

Algo que faz de ALA um nutriente especial é por ele ser solúvel em gordura. Há evidencia de que ALA atua como um quelante de metais pesados, ligando-se a metais no corpo, incluindo mercúrio, arsênio.

ALA pode aumentar a metabolização da glutationa, e pode aumentar o metabolismo da energia também e é por isso que alguns atletas usam ALA para melhoria do rendimento físico.

 

ALA atua como um antídoto para o estresse oxidativo e inflamação, e luta contra danos causados aos vasos sanguineos, cérebro, neurônios e órgãos como coração e fígado. Isso significa que ele oferece inúmeros benefícios ao longo de todo o corpo, oferecendo benefícios no tratamento de Alzheimer e ainda controlando doenças hepáticas.

 Combate o diabetes e suas complicações

Como o ALA pode proteger as células e neuronios envolvidos na produção hormonal, um benefício é que ele oferece proteção contra a diabetes. ALA é considerada um farmaco eficaz no tratamento da neuropatia diabética sensorial motora distal, que afeta metade das pessoas com diabetes. ALA ajuda a melhorar a sensibilidade a insulina, e oferece proteção contra síndrome metabólica (um termo dado a um conjunto de condições como pressão alta, colesterol e peso corporal). Alguns estudos também mostram que ele pode ajudar a manter níveis de açúcar no sangue mais baixos.

ALA é usado para aliviar complicações e sintomas de diabetes causados por danos nos nervos, incluindo dormência nas pernas e braços, problemas cardiovasculares, distúrbios relacionados com os olhos, dor e inchaço.

Preservam a saúde dos olhos

O estresse oxidativo pode danificar os nervos nos olhos e causar diversos problemas de visão, especialmente em pessoas com diabetes ou pessoas mais idosas. ALA foi usado com sucesso para ajudar em sintomas de distúrbios relacionados com os olhos, incluindo perda de visão, degeneração macular, danos da retina, cataratas, glaucoma e controle da doença de Wilson.

Com o envelhecimento, a visão tende a se tornar comprometida, e é por isso que é importante ter uma dieta rica em nutrientes bem antes da idade avançada para prevenir a degeneração dos tecidos oculares ou ate mesmo a perda da visão.

Impede a perda de memória e declínio cognitivo

ALA atravessa facilmente a barreira ‘sangue-cérebro’, onde pode proteger o cérebro e o delicado tecido nervoso. Ele é usado para prevenir derrames e outros problemas cerebrais, incluindo a demência em adultos mais velhos.

Em estudos com ratos, ALA ajudou a reverter os danos no envelhecimento de células cerebrais, melhorou o desempenho em tarefas de memória, diminuiu danos oxidativos e melhorou a função mitocondrial. – J Alzheimers Dis. 2012;32(2):447-55.

 Ajuda impulsionar a glutationa

Glutationa é considerada o ‘antioxidante mestre’ por muitos especialistas, uma vez que é crucial para a imunidade, saúde celular e prevenção de doenças. Alguns estudos descobriram que suplementação com ALA ajudou a aumentar a capacidade da glutationa em regular a resposta imunológica do corpo e combater doenças como diabetes (ou resistência à insulina) e até mesmo HIV/AIDS.

Ajuda proteger a pele de danos

Quando se trata de sinais físicos do envelhecimento na pele, alguns estudos descobriram que cremes no tratamento tópico contendo 5% de ALA foi capaz de reduzir as linhas finas causadas pela exposição ao sol.

Combate o câncer

ALA tem propriedades anticâncer. Pesquisadores sugerem que ALA pode beneficiar indivíduos com leucemia, câncer de cólon, ovário e mama. Combinado com suas várias capacidades antioxidantes, ALA tem sido demonstrado em inibir a proliferação celular, bem como a apoptose celular. ALA pode efetivamente promover a destruição de células cancerosas.

ALA aumenta a produção de oxigênio dentro das células cancerosas. Um estudo de 2005, mostrou que ALA aumentou a respiração mitocondrial dentro de células cancerosas (no câncer de cólon). Isso é uma descoberta significativa porque as células cancerosas são conhecidas por terem disfução mitocondrial e uma incapacidade para utilização do oxigênio pela respiração aeróbica. – http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15843897

O oxigênio é o inimigo de células cancerosas que são caracterizadas como anaeróbicas (vivem sem oxigênio) – ou há uma incapacidade na utilização do oxigênio. ALA foi demonstrado em aumentar o oxigênio dentro da célula cancerosa, e esse aumento de oxigênio induziu o mecanismo genético ‘apoptose’ e matou as células mutantes (cancerosas). Além disso, ALA também reduz a angiogênese ou o crescimento de novos suprimentos de sangue para as células com câncer.