Os nossos hormônios são como mensageiros químicos do corpo, responsáveis pelo crescimento, desenvolvimento, funções reprodutivas, ativadores de reações como o metabolismo e manutenção celular. Penetram no núcleo das células e comandam reações determinando qual função ela deve exercer e como deve se relacionar com as outras células. 

Homens e mulheres começam a sofrer ação do envelhecimento por volta de 20 a 25 anos de idade. Neste período iniciamos um processo progressivo e natural de declínio e desordem desta inter-relação hormonal. A produção dos hormônios diminui e com ela a capacidade de realizar renovação e reparo destas células. Este desequilíbrio hormonal crônico e acumulativo é a base para o envelhecimento. Nosso corpo vai iniciar mudanças muitas vezes indesejadas, é preciso reavaliar hábitos de vida e prioridades ou pagaremos por cada infração com quilos, rugas e doenças associadas.

Ao contrário do que parece a secreção dos hormônios não diminuem porque estamos envelhecendo e sim envelhecemos porque nossos níveis hormonais diminuem. O que não significa que se recuperarmos os níveis destes hormônios voltaremos a ser jovens, mas poderemos retardar este envelhecimento e reduzir doenças e danos no processo degenerativo.

A medicina tradicional, curativa, deve andar de mãos dadas com a medicina preventiva. Cada pessoa deve ser vista como um caso individual. Mesmo que duas pessoas tenham o mesmo sexo e idade, não significa que necessitam da mesma modulação hormonal. Dosar os hormônios é tão importante quando dosar o açúcar do sangue, hemograma e colesterol. A dosagem hormonal deve fazer parte da rotina médica.

Conheça os principais tipos de hormônios envolvidos no envelhecimento e suas características:

Dehidroepiandrostenediona (DHEA): Produzido pela glândula adrenal é um dos hormônios mais abundantes do nosso corpo. Sua secreção chega ao pico máximo por volta dos 20 anos. Quanto mais envelhecemos, menor é a sua secreção.

Pregnenolona: Essencial para o funcionamento apropriado de todas as funções mentais. É o precursor de todos os hormônios esteroides como o cortisol, testosterona, estrógeno, progesterona, DHEA.

Melatonina: Produzido pela hipófise tem a função de regulador do sono e está relacionado à obesidade.

Testosterona: Responsável pelo desenvolvimento e manutenção das características sexuais masculinas, assim como para a função e desempenho sexual. Apesar de ser encontrado em ambos os sexos, os homens produzem cerca de 20-30 vezes mais. Sua queda chama-se andropausa.

Somatotropina (GH): Hormônio relacionado ao crescimento, manutenção da força muscular e metabolismo. Tem queda expressiva com o envelhecimento.

Triiodotironina (T3): Hormônio da tireoide atua estimulando a velocidade do metabolismo basal.

Saiba como evitar o desequilíbrio hormonal e manter-se jovem e melhor, praticando ações saudáveis e obtendo bons resultados:

Faça escolhas alimentares inteligentes: Os hormônios são derivados de aminoácidos, proteínas e ácidos graxos. Quem se alimenta com regularidade de horários, fugindo de jejuns prolongados, e com diversidade aumenta a matéria prima dos hormônios.

Durma bem: a maior parte dos nossos hormônios é produzida nas fases de sono profundo. Por isso para se alcançar a fonte da juventude é preciso dormir bem.
Diminua o estresse: o estresse traz desordens no metabolismo que afetam diretamente a produção hormonal. O cortisol, um importante hormônio de depósito de gordura corporal, tem picos no estresse.

Evite toxinas: o meio em que estamos inseridos é repleto de poluentes, pesticidas, agrotóxicos, estabilizantes e corantes; e todos estes modulam a secreção hormonal provocando aceleração no envelhecimento.

Pratique atividade física regularmente: a atividade física é o mais importante regulador das desordens hormonais. É capaz de aumentar a secreção de moduladores hormonais restabelecendo o equilíbrio e mantendo a longevidade.

O mundo em que estamos vivendo atualmente é incompatível com uma vida saudável. Cabe a cada um de nos modificarmos essa realidade. Não somos máquinas. Alimenta-se bem não é uma questão de opção é uma questão de obrigação, como o ar que respiramos. A ingestão de água é fundamental para o funcionamento do nosso organismo, como a gasolina de um carro. Enfim, não há modulação hormonal ou qualquer outro tratamento que seja eficaz sem que haja uma mudança de conceitos e de hábitos. O fumo, a bebida, o anticoncepcional são inconcebíveis para uma vida saudável.