É produzido pelas glândulas suprarrenais, que estão localizadas acima dos rins e serve para ajudar o organismo a controlar o estresse, reduzir inflamações, contribuir para o funcionamento do sistema imune e manter os níveis de açúcar no sangue constantes, assim como a pressão arterial.

Os níveis de cortisol mudam durante a rotina do dia, pois está relacionado à atividade do dia a dia e também está relacionado com a serotonina, responsável pela sensação de bem estar.

Esse hormônio é alvo de muitas preocupações, pois quando ele se encontra em altos níveis ele pode trazer muitos malefícios, e quando se encontra muito baixo também.

Quando o nível do cortisol está alto no organismo o corpo reage como: diminuição da testosterona, perda de massa muscular, aumento de peso, aumento das chances de osteoporose e lapsos de memória, aumento da sede e da frequência em urinar, e diminuição da libido e irregularidade menstrual.

Para tratar os problemas ocasionados pelo cortisol alto, é preciso consultar um médico qualificado, para a prescrição do tratamento adequado.  Mas, a alimentação pode ser aliada, através da ingestão de alimentos que possuam vitamina C, inhame, miúdos de boi, chocolate amargo, e também diminuindo a cafeína.

Os níveis de cortisol respondem rapidamente aos alimentos que comemos.

Estudos mostram que o índice glicêmico de um alimento afeta os níveis de cortisol por aproximadamente cinco horas após você comer. Alimentos com um índice glicêmico alto deixam os níveis de cortisol alto. Esses alimentos incluem produtos ricos em açúcar e amidos refinados. Pular refeições também podem aumentar os níveis de cortisol. Ou seja, tudo que  já sabemos que deve ser evitado!
Quando o cortisol está abaixo do ideal, o corpo também sente, através de sintomas como: desejo repentino de consumo de doces, fadiga, fraqueza, cansaço, depressão.

A forma mais comum de tratar a deficiência de cortisol é através da terapia de reposição hormonal. Mas, saber gerir e reduzir o estresse é um grande aliado, pois permitirá que o cortisol aumente gradualmente em seu sistema, em vez de ser produzido de uma só vez em situações de alta pressão.

Quanto mais estresse você tiver, mais rápido o seu cortisol ficará esgotado.

Portanto, cuide da alimentação, controle o estresse e faça atividade física regularmente! São os pilares básicos da longevidade saudável.