Nos últimos dez anos, mais de 10.000 artigos de revistas médicas têm sido publicados sobre a vitamina D. E o ritmo das pesquisas só acelera. No período de 1 ano, 3.500 relatórios são publicados sobre a vitamina D, cerca de metade dele com foco nas pessoas. Nos EUA, a cada quatro americanos três são deficientes ou têm deficiências limítrofes de vitamina D. Ou seja, as chances são de que você também esteja precisando de mais vitamina D.

 

A vitamina D é realmente um pré-hormônio que o corpo produz quando a pele é exposta à luz solar. Ele eventualmente é convertido em calcitriol, um hormônio esteróide.

 

Um estudo publicado no jornal Nature descobriu que a vitamina D é um antibiótico natural. Embora ela não ataque diretamente a bactéria, ela dá ao seu corpo o que ele precisa para cuidar desses agressores sozinho. Ela faz isso ao aumentar a sua produção de peptídeos antimicrobianos, uma classe de proteínas que procuram e destroem vírus, bactérias e fungos. Acrescente essa descoberta a outros estudos que mostraram que a vitamina D pode reduzir o seu risco de doenças gengivais, diabetes, câncer e doenças autoimunes, e você terá que perguntar se há algo que este hormônio não possa fazer.

 

Outro estudo feito pelo Ph.D e perito em vitamina D, doutor William Grant, descobriu que aproximadamente 30% das mortes por câncer poderiam ser evitadas com a utilização de um nível mais alto de vitamina D. Além de prevenir contra o câncer, os pesquisadores estimam que o aumento do nível de vitamina D poderia prevenir contra doenças que ceifam quase um milhão de vidas globalmente a cada ano. Além disso, a vitamina D também age contra resfriados e gripes, pois ajuda o seu sistema imune a defender o corpo contra as bactérias e os vírus.

 

Mas quando as pessoas não gastam pelo menos 15 minutos no sol do verão, elas não podem fazer muita vitamina D. Muitos especialistas, como o médico James E. Down, professor da Universidade de Medicina de Michigan, autor do livro "The Vitamin D Cure" (A cura da vitamina D) acredita que todos, incluindo bebês e crianças, devem tomar suplementos de vitamina D. 

 A quantidade de Vitamina D3 produzida é influenciada pelos seguinte fatores:

 

  • A hora do dia: Quando os raios solares entram na atmosfera da Terra eles tem um ângulo de incidência. Quando o ângulo é oblíquio (aqui no Sudeste, antes das 10:00hs e depos das 15:00hs) a atmosfera dispersa a porção UVB desses raios e eles não chegam até você, de forma que a sua pele não pode produzir vitamina D. Esta perda de UVB aumenta quanto mais longe estivermos da Linha do Equador, pois os ângulos vão se tornando mais inclinados sobre a atmosfera. Uma boa regra e fácil de memorizar é a seguinte: sempre que a sua sombra for mais comprida do que a sua altura (um indicador do ângulo do sol), a sua produção de vitamina D3 será muito baixa. Assim, para optimizar a produção de vitamina D, a exposição solar deve acontecer entre as 10:00hs e as 14:00hs da tarde. Quanto mais perto do meio-dia, maior a produção de vitamina D3. Mas atenção, uma exposição de 10-20 minutos geralmente é suficiente para indivíduos de peles claras. Após essa exposição, a aplicação de um protetor solar adequado é recomendado, para evitar os efeitos nocivos da exposição excessiva à luz solar crônica. 

  • Tipo de Pele: A melanina é uma substância que afeta quão clara ou escura a cor da pele é. Quanto mais melanina que você tem, mais escura a cor da pele. A quantidade de melanina que você tem em sua pele afeta a quantidade de vitamina D que você pode produzir. A melanina protege contra danos da exposição demasiada ao UVB, de modo que peles mais escuras, com mais melanina, permitem menos entrada de UVB pele. Com menos UVB recebendo através da pele, menos vitamina D é produzida a cada minuto. É por isso que se você for de pele escura, você precisa de mais exposição ao sol para produzir vitamina D do que quem possui pele clara.

  • Quantidade de pele exposta: Pelo menos 40% de toda a pele deverá estar exposta para a produção ideal de vitamina D. 

 

Atenção! Você não produz vitamina D quando está exposto à luz solar através do vidro já que o vidro filtra a maior parte dos raios UVB que estimulam a produção de vitamina D. Tudo o que você está recebendo em sua maioria são os raios UVA, que penetram profundamente na sua pele causando rugas e aumentando o risco de danos e câncer de pele. E saiba também que a radiação UVA é mais forte na parte da manhã e no final da tarde.

 

 

Quantidades ideais de Vitamina D3

 

Tem havido uma certa controvérsia sobre a quantidade de vitamina D necessária para o funcionamento saudável. Pesquisas recentes indicam que você precisa de mais vitamina D do que se pensava. Dependendo do seu nível sérico no sangue, as suas necessidades de ingestão de vitamina D podem ser maiores.. 

 

O aconselhável é que você cheque o seu nível de vitamina D regularmente. Mas tenha certeza de que está fazendo o exame correto. Há dois exames para a vitamina D: o 1,25(OH) e o 25(OH)D. Dos dois, o 25(OH)D (também chamado de 25-hidroxivitamina D) é um marcador melhor do estado geral da vitamina D. 

 

Quando você fizer o exame para a vitamina D, por favor perceba que muitos laboratórios comerciais estão usando velhos e antiquados âmbitos de referência e o “normal” deles provavelmente esteja muito abaixo dos valores ideais e clinicamente relevantes.

 

Se o seu nível de vitamina D estiver baixo demais, a melhor maneira de aumentá-lo é com exposição à luz natural do sol, em quantidades apropriadas. Dependendo do seu tom de pele, uma exposição de apenas 20 minutos ao sol poderá carregar o seu corpo com aproximadamente 20.000 UI’s de vitamina D. 

 

Infelizmente, graças ao grande esforço da propaganda para demonizar o sol, a maioria das pessoas estão lamentavelmente deficientes.

 

Mas você também pode optar por um suplemento oral de vitamina D3. Apenas lembre-se que se você suplementar oralmente, é importante  checar o seu nível sanguíneo regularmente. 

Agende sua consulta 35-3521-6331