Os hormônios são mensageiros químicos especiais que desempenham papel chave na regulação de quase todas as funções corporais, incluindo metabolismo, crescimento e desenvolvimento, equilíbrio  hidroeletrolítico, reprodução  e  comportamento, controlando todo o processo de renovação, reparo e síntese de proteínas no organismo humano.

 

Evidências comprovam que a Natureza nos impõe um limite metabólico de excelência, que se restringe ( no máximo ) aos primeiros 30 anos das nossas vidas.

 

Transposto esse patamar, nosso organismo passa a experimentar gradual, crônica e cumulativa  redução  da capacidade de sintetizar hormônios responsáveis pelas funções anabólicas  renovadoras e reparadoras, o que acarreta a intensificação do processo de envelhecimento, com a consequente  queda  da qualidade celular global e o aumento do risco de desenvolvimento de doenças degenerativas, impropriamente encaradas como características e inevitáveis da velhice.

 

Podemos comparar o corpo humano a um dispositivo inteligente, excepcionalmente bem projetado e desenhado, cujas partes trabalham naturalmente interligadas, alicerçadas na Harmonia.

 

A saúde de nosso organismo, no decurso da vida, depende do nosso equipamento genético ( e epigenético ) e de múltiplas variáveis, também conhecidas como fatores de risco, em especial, nossas atitudes e estilos de vida, além da interação com o meio-ambiente.

 

No tocante à modulação hormonal propriamente dita, é importante reforçar que os hormônios a serem utilizados a título de reposição devem ter estrutura molecular ABSOLUTAMENTE IDÊNTICA àquela dos produzidos naturalmente por nosso organismo.

 

Tal exigência é ABSOLUTA e IMPRESCINDÍVEL, uma vez que a resposta biológica de uma célula-alvo à ação de determinado hormônio somente pode ser deflagrada a partir do correto acoplamento deste ao seu RECEPTOR ESPECÍFICO, após o que se desencadeia uma cascata de eventos fisiológicos.

 Mesmo para um hormônio quimicamente bioidêntico, as regras da bioidentidade, rigorosas e inarredáveis, incluem todo um conjunto de exigências, como dose, horários e forma de administração, além do controle dos fatores concomitantes.

 Nosso conjunto de Protocolos, além de validados por consensos nacionais e internacionais, encontra-se ancorado em mais de três décadas de evidências científicas alicerçadas na Fisiologia e procura contemplar, sempre à luz dos mais recentes avanços tecnológicos, todo o espectro possível de atuação equilibradora.

 Ou seja, atuamos efetivamente  desde  a síntese hormonal até sua ação biológica final, passando pelo manejo dos elementos indispensáveis e coadjuvantes e, sobretudo, agindo INTENSA e OSTENSIVAMENTE  sobre os destruidores biológicos de toda  ordem, particularmente os TÓXICOS, os METAIS PESADOS e os RADICAIS LIVRES.

 Em resumo, nosso programa tem como ponto CRUCIAL e como aspiração e escopo a PROMOÇÃO da SAÚDE humana, no PRESENTE e ao longo das idades.