A incidência de doenças crônicas como infarto agudo do miocárdio , diabetes, demências e câncer tem aumentado consideravelmente em todo o mundo industrializado nas últimas décadas e a obesidade está associada a maioria destas doenças. Segundo dados oficiais , com o objetivo de diminuir a obesidade e diminuir a incidencia de doenças degenerativas criou-se a orientação de se comer menos gordura e mais cereais e grãos que são carbohidratos. Assim,por muitas décadas a divulgação desta informação modificou os hábitos alimentares da população com as pessoas passando  a comer mais pães integrais ,cereais matinais e outros grãos além de mais carboidratos 

A consequência desta mudança está bem evidente pois agora vivemos em um mundo onde praticamente não se come gordura, principalmente a saturada ( a gordura animal). E apesar destas mudanças , todas essas doenças e a obesidade continuam a crescer de forma mais rápida, deixando evidente que a mudança não só não resolveu o problema como piorou.

Diversas pesquisas científicas confirmaram que o consumo de carboidratos é prejudicial à saúde humana, assim como a diminuição do consumo de gorduras. Alimentos como grãos e cereais contém grande quantidade de amido, que o corpo transforma rapidamente em glicose (açucar). Ao comermos grãos por exemploa granola, nosso corpo tem que liberar grandes quantidades de insulina para conseguir limpar toda a glicose produzida por esse alimento. A insulina liberada aumenta o apetite e engorda. E isso vira um ciclo vicioso com cada vez mais fome e menos energia para o corpo.

Alimentos ditos saudáveis como os cereais matinais , granola, arroz, feijão, milho e aveia são na verdade alimentos não saudávis .

Uma alimentação saudável inclui carne, gorduras saturadas como banha de porco, óleo de coco , manteiga ghee, verduras e legumes com moderação.